Qual o risco do meu benefício ser cortado pelo INSS em 2018?

Governo quer fazer 1,2 milhão de perícias em 2018, porém, parte dos quase quatro mil peritos do INSS terá de aderir a uma nova modalidade de trabalho que, levará em conta a produtividade.

Para o ministro em exercício, ao compensar os peritos por produtividade, garantindo ao menos 4 perícias diárias por profissional, o INSS poderá revisar em média 120 mil benefícios mensalmente, chegando ao número de 1,2 milhão de revisões ainda neste ano.

O governo começou a fazer em agosto de 2016 o pente-fino nos benefícios por incapacidade pagos pelo INSS. Até o momento, a revisão focou no auxílio-doença, nos casos de pessoas que há mais de dois anos não passam por revisão médica no INSS.

A consulta de revisão é obrigatória e atesta se permanece ou não a condição que impede o beneficiário de trabalhar.

Para os que são aposentados por invalidez deve passar pela revisão quem tem menos de sessenta anos de idade e está há dois anos ou mais sem passar por perícia.

Ficam de fora pessoas com mais de sessenta anos e quem tiver cinquenta e cinco anos e estiver recebendo o benefício há pelo menos quinze anos.

O beneficiário incluído no pente-fino recebe uma carta de convocação. Depois da notificação, tem até cinco dias úteis para agendar a perícia pela central 135.

Caso contrário, o benefício fica suspenso até a regularização. A partir daí o beneficiário tem mais 60 dias para marcar a perícia. Se não buscar o INSS, o benefício será cancelado.

O INSS pagava em 2016 1,8 milhão de auxílios-doença a cada mês e, em dezembro de 2017, o número caiu para 1,4 milhão. A previsão é encerrar 2018 com 1,1 milhão de benefícios pagos por mês.

Ministro interino explica novo sistema para peritos do INSS

Pelo novo sistema, o perito irá acumulando pontos de acordo com o número de perícias, atendimentos domiciliares e análises processuais, de exames e de laudos.

O perito que cumprir a meta diária, poderá sair mais cedo do trabalho.

“Por segurança, para garantir a qualidade do atendimento, o sistema não permite realizar 30 perícias em uma hora. Cada perícia tem duração mínima de 15 a 20 minutos”, explicou o ministro Beltrame.

Publicado em Categorias Valores - Previdência

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *