Reclamações sobre o status ‘EM ANÁLISE’ nos pedidos de aposentadoria ao INSS

Pergunta: Completei 65 anos em 16/03/2018, quando agendei, via internet, e a data disponibilizada foi 12/09/2018, atendimento na Agência Ramos – Rio de Janeiro, da Previdência Social, para requerimento da aposentadoria urbana por idade, apesar do meu tempo de serviço (29 anos e 4 meses) e os salários de contribuição das empresas em que trabalhei constarem no CNIS – Extrato Previdenciário, e poderia ter sido concedida a aposentadoria por idade automática. Compareci na data agendada, e foi dito pelo servidor que demandaria mais 45 dias para a obtenção da aposentadoria requerida. Mas foi em vão. Até o momento, passados quase 4 meses (somados aos seis meses que tive que aguardar devido ao agendamento, seriam 10 meses), e nada da aposentadoria por idade à qual tenho direito, e aparece, quando consulto, Status “EM ANÁLISE”. A Pergunta que se faz é a seguinte: Estão esperando EU MORRER para não concederem o benefício ou é necessário ingressar na Justiça contra o INSS?


Resposta do INSS:

Como já informado, compreendemos a situação, mas realmente há excesso de pedidos de benefícios, e o INSS poderá pagar a correção monetária do período, caso o benefício seja concedido.

Réplica do segurado: Previdência Social, desculpa esfarrapada. Vou completar 1 (UM) ANO em 16/03/2019, sem que tenha sido concedido o benefício da aposentadoria urbana por idade, quando existe uma portaria do INSS de agosto de 2017, que diz que haverá concessão automática desse benefício, desde que tenha a idade mínima de 65 anos e, pelo menos, 15 anos de contribuição, tudo comprovadamente no sistema do INSS, o que é o meu caso. Aliás, eu tenho o DOBRO do tempo de serviço mínimo exigido, visto que possuo 29 anos e 4 meses, além do tempo de serviço na empresa onde trabalho atualmente, com carteira assinada. E o tal do INSS DIGITAL não veio exatamente para resolver esse problema de excesso de pedidos? Aliás, não é excesso de pedidos, é direito aos benefícios, pois trabalhamos e contribuímos para isso durante toda a vida. E o que adianta pagar corrigidamente se antes disso EU VIER A MORRER? Nem meus dependentes receberiam, visto que o requerimento do benefício se tornaria inócuo e eles teriam que requerer o benefício de pensionistas.